Primeiramente, registro a honra de, mais uma vez, assumir a presidência da ABDER, a partir dos entendimentos e da confiança em mim depositada pelos colegas que hoje dirigem nossas instituições associadas.

Devemos manter a crença num Brasil melhor. Acredito que a área de infraestrutura é fundamental para o desenvolvimento social e econômico que o país necessita. A Infraestrutura Rodoviária deve ser reconhecida e valorizada pelos governos em seus diversos níveis para que possam, de forma abrangente, contribuir para o projeto de desenvolvimento do País e dos Estados no século 21.

Ao iniciar o mandato 2015/16, manifesto e asseguro a firme determinação de manter a continuidade das ações e demandas que a ABDER vem desenvolvendo nas gestões anteriores. Trabalharemos para o fortalecimento da Associação, trazendo de volta ao nosso convívio os Órgãos Rodoviários Estaduais que por qualquer motivo estejam momentaneamente afastados. Unidos teremos mais força em nossas reinvindicações na União e no Congresso Nacional.

Os DER’s devem cada vez mais ampliar a sua participação nos debates referentes à Mobilidade e Trânsito, juntamente com as demais instituições afetas a estes tópicos, indo além do Rodoviário. Em Brasília, segundo estatísticas, de janeiro a dezembro de 2015, comparando com o mesmo período de 2014, reduzimos o número de mortes no trânsito em aproximadamente 16%, o que é extremamente significativo, num trabalho integrado entre o DER, DETRAN, Batalhão de Polícia Rodoviária, Batalhão de Trânsito, DNIT e PRF.

Mobilidade e Trânsito são temas que devem ser inseridos no contexto dos Departamentos de Estradas de Rodagem, que desde suas fundações dedicaram-se, e bem, aos aspectos da Infraestrutura Rodoviária, com seus traçados, pavimentos, obras de arte, equipamentos e respectivas evoluções tecnológicas.

O deslocamento de pessoas e mercadorias, em prazo adequado e em segurança, é um dos indicadores que define a qualidade de vida e a competitividade de uma determinada unidade da Federação. Note-se, ainda, que estas áreas viabilizam, com seu trabalho cotidiano, a infraestrutura e as condições para que se cumpra o filosófico direito de ir e vir, amplamente reconhecido nas democracias modernas.

A ação articulada contemplando a visão Rodoviária, de Trânsito e de Mobilidade, permitirá aos DER’s se inserir nos debates que fazem parte do cotidiano das Cidades e dos Estados.

Os DER’s devem empreender ações que os aproximem da sociedade que, em última análise, é a principal beneficiária dos trabalhos que planejam, desenvolvem e executam.

Edição janeiro/fevereiro 2016

Presidente

Engenheiro Henrique Luduvice

Engenheiro Henrique Luduvice - Presidente da ABDER - Diretor Geral do DER-DF